quarta-feira, 3 de dezembro de 2008



⌠ [ ♥ ] ⌡

A alma,
Liberta do assédio do tempo,
Descansa
No colo da inocência.
O corpo,
Refém das paixões e dos desejos,
Entrega-se
Às garras cruéis da solitude.
Os pés,
Vestidos com as sapatilhas dos sonhos,
Tropeçam
Nos caminhos anoitecidos pelo tédio.
O pensamento,
Prisioneiro libertário das palavras,
Reinventa
Os mesmos versos da sua poesia.
O coração
Perdido nas encruzilhadas do amor,
Desfibra-se
Nos tortuosos meandros da rejeição.
As asas,
Embaraçadas nas grades da indiferença,
Preparam-se
Para rasgar as teias do conformismo
No alçamento do seu voo solo.

2 comentários:

lisse disse...

Caminho de árvores, onde "as sapatilhas dos sonhos",
adormecem "no colo da inocência"...
Noite boa
Beijo

NAFTAMOR disse...

lisse,


O coração
Perdido nas encruzilhadas do amor,
Desfibra-se
Nos tortuosos meandros da rejeição.


Um beijo