terça-feira, 23 de dezembro de 2008

@






Os ideais são como as estrelas você não conseguirá tocá-las com suas mãos. Mas como os marinheiros nas águas desertas, elas podem guiá-lo, e, seguindo as estrelas, você chegará ao seu destino.

8 comentários:

kris disse...

Nestas águas gélidas, venho desejar-te uma boa noite, e que o dia amanha te sorria...

ruge......... like a lion!!!!

beijo*

NAFTAMOR disse...

Kris,

vamos ver se as águas que por aqui correm chegam a um BOM destino

"LIONESS"

Boa noite para ti

Um beijo

Ana Oliveira disse...

Desculpa mas começo a morrer de inveja das tuas imagens...estou em crer que a minha "net" está avariada.
São sempre imagens lindas, de um tal bom gosto, tão etéreas.
Algumas fico muito tempo a olhá-las...de tão irreais que são.
Obrigada
Beijos
Boa noite

NAFTAMOR disse...

Ana,

UAUH!!!

esse comentário, vindo de uma Artista é de ficar babada,mas saiba a menina que corre no meu sangue várias correntes;

como eu gosto de agradar!!!
tem dias, tem dias e hoje até que não é um bom dia......

Um beijo

Ana Oliveira disse...

Serão então correntes oníricas, vibrantes e deleitosas...

Pois...tem dias e o meu ontem foi pessimo e o de hoje não está melhor...

Beijos

NAFTAMOR disse...

Ana,

Lamento que o dia não esteja a ser como planeas-te;

Bem fiz eu que não planeei nada

e o que tenho?
o mesmo de ontem e o que se prevê é que seja o mesmo de amanhã.

Haja saúde!

Um beijo

Ana Oliveira disse...

Naft
Eu não planeei nada, porque nada havia a planear senão um Natal em família, pena foi que quem não devia se tivesse lembrado de ter saudades nestes dias e acabado com a calma tão dificilmente conquistada.

Amanhã será um pouco melhor que hoje, espero que, para mim e também para ti.

Haja muita saúde porque é precisa muita saúde para aguentar os trancos da vida.

Passa uma boa noite.

Beijo grande
Ana

NAFTAMOR disse...

Ana,

Noite igual, nada de novo e hoje é mais um dia. Lá fora tudo parado, demais para o meu gosto, cá dentro continuamos a tentar;

Pois então, quem não devia aparecer, apareceu e destabilizou a pequena calma conquistada;
Temos volta?

Um beijo